Glossário sobre o mercado imobiliário – Volume 1

 glossário É bastante comum cada um dos mercados e profissões terem seus próprios termos e linguagens específicas. Sendo assim, tanto para os profissionais do ramo quanto para os clientes, é importante estar atento a determinadas expressões e termos técnicos para poder dialogar e compreender como tudo funciona.

Para ajudar você, criamos um glossário que reúne os termos mais utilizados no mercado imobiliário. Quer saber mais? Então confira agora!

Alienação fiduciária: transferência de um bem móvel ou imóvel do devedor para o credor, como uma garantia do pagamento da dívida. O devedor detém a posse do bem para seu uso. Após a quitação da dívida, o comprador adquire a propriedade definitiva do bem

Amortização: Se refere ao pagamento repetitivo de uma dívida com o intuito de quitá-la.

Área útil: Significa a soma de todas as áreas internas de cada cômodo do imóvel.

Arrendamento mercantil: Também é chamado de “leasing” e corresponde à aquisição ou locação de um bem por parte do arrendador para utilização do cliente.

Averbação: Trata-se de uma anotação registrada pelo Cartório de Registro de Imóveis informando qualquer alteração sobre os dados do proprietário ou do imóvel.

Benfeitorias: Obras, reformas ou serviços em gerais que são realizados em um imóvel com o intuito de fazer melhorias e conservar o local, podendo assim valorizá-lo.

Carta de crédito: Documento utilizado como uma espécie de crédito autorizando o empréstimo de certa quantia em dinheiro.

Carteira Hipotecária: Chamado pelos profissionais do ramo como CH, é uma Linha de crédito habitacional que conta com regras próprias de financiamento, prazos, taxas e juros.

Caução: forma de garantia apresentada em forma de títulos, dinheiro ou bens para garantir que uma dívida será paga.

Certidão negativa: utilizado quando se faz necessário comprar a existência ou não de ação civil, criminal ou federal contra uma pessoa, física ou jurídica.

Comissão: dinheiro ou verba recebida pelos profissionais corretores de imóveis como pagamento das vendas e transações realizadas.

Comprometimento de renda: relacionado ao percentual máximo da renda mensal que uma pessoa pode comprometer quando for financiar algo.

Condomínio Compartilhado: uma grande estrutura dividida em espaços menores, e que permite que cada empresa consiga exercer suas atividades, independente das outras.

Consórcio: Forma bastante utilizada para adquirir imóveis ou carros. Forma-se um grupo de pessoas através de uma empresa que administra os recursos para a compra de um imóvel. São realizados sorteios mensais das chamadas cartas do consórcio, que corresponde a união dos recursos depositados pelos participantes. Esses recursos são utilizados na compra dos imóveis dos participantes.

CRECI: Significa Conselho Regional de Corretores de Imóveis, órgão que regula e fiscaliza a atividade de corretores de imóveis. Apesar da sede principal estar Brasília, há outras em diversos estados do país.

Crédito habitacional: empréstimo concedido por instituições financeiras para aquisição ou reformas de um imóvel próprio.

Credor: Aquele que concede crédito ou empresta dinheiro para alguém.

Dação: Método utilizado para saldar dívidas, sendo que é possível ao devedor pagar com algo diferente do que estava no acordo original, como oferecer um carro ou um imóvel, por exemplo.

Denúncia vazia: Quando o proprietário ou locador rompe o contrato de locação por conveniência própria sem a necessidade de apresentar justificativas. Isso obriga o inquilino a desocupar o imóvel em um prazo de 30 dias.

Denúncia vazia: Rompimento de um contrato de locação. O proprietário do imóvel cancela o negócio, sem apresentar justificativas para o inquilino.

Doca: plataforma ou local onde é possível realizar com segurança a descarga e carga de caminhões. Essencial para uma boa logística empresarial.

Escritura: Ato jurídico registrado em Cartório onde o vendedor transmite ao comprador a posse e domínio de imóvel. É necessário que a escritura definitiva seja registrada junto ao Serviço de Registro de Imóveis da circunscrição do imóvel para que a propriedade seja regularmente transferida.

FCVS: é o chamado Fundo de Compensação das Variações Salariais, criado com a finalidade de controlar o prazo para amortização de financiamentos habitacionais do Sistema Financeiro da Habitação (SFH).

FGTS: ou Fundo de Garantia do Tempo de Serviço que funciona como uma poupança aberta pelo empregador em nome de seu empregado, na qual são depositados (mensalmente) 8% do salário do funcionário. Esse saldo pode ser utilizado em financiamento de imóveis.

Fiador: responsável por assumir o compromisso de efetuar o pagamento de cobranças quando o locatário não consegue seguir com os pagamentos e compromisso.

Financiamento imobiliário: Recurso utilizado para comprar ou reformar a casa própria. Trata-se de uma espécie de empréstimo realizado pelos bancos que ficam responsáveis pela compra do imóvel. Depois, o proprietário tem a responsabilidade de quitar o valor financiado junto à instituição.

Fundação: Corresponde ao conjunto, fundamentos e estrutura de uma construção.

Habite-se: Se utiliza esse termo quando a obra é concluída e o poder público municipal atesta que a mesma está apta para ser habitada, podendo assim ser ocupado. Para que esse documento seja emitido, é preciso uma vistoria no local, para se certificar que a obra foi concluída e

capa-imóveis (1)

Carlos Santiago

Carlos Santiago

Carlos Santiago. Fundador da MG Galpões do Brasil, formado em direito pela Unifenas, pós graduado em direito Imobiliário pela Fundação Getúlio Vargas e atualmente cursando técnico em seguros pela Funenseg, unidade Belo Horizonte. Atua profissionalmente como consultor imobiliário e administrador de imóveis no segmento de locação e vendas de terrenos e áreas para galpões e supermercados na região de Belo Horizonte e grande BH, há mais de 18 anos.

Website: http://www.mggalpoes.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *